sexta-feira, 29 de outubro de 2010

ATAQUES AO GOVERNO MUNICIPAL !!!

Adriano Couto

Nesta semana a cidade de Butiá presenciou uma série de ataques combinados ao governo do Prefeito Paulo Machado. Ataques mesquinhos, orquestrados por uma oposição ridícula, oligárquica, que não pode conviver com um governo popular.

Já tem algumas semanas que o pseudo-colunista anônimo (merece umas boas doses de chumbinho! Raticida dos brabos!) do faccioso jornal do andar de cima do prédio verde do Estreito das Comunicações, vem disseminando boatarias entre a comunidade butiaense.

O pessoal do andar superior do prédio verde aliados com a oposição vem desferindo ataques rasteiros, começando que levaram ao seu programa radiofônico, o “coronel do trabalhismo”, que se julga o senhor deus todo poderoso da saúde de Butiá, onde teve a prepotência e arrogância de afirmar que é ele quem resolve os problemas na referida área em nosso município, pois segundo suas palavras, se não é ele “batalhar” pelas consultas, a comunidade estaria desamparada (para refrescar a memória, cito que o referido coronel tem envolvimento com os deputados albergueiros! lembram?).

Concordo que não somos um município perfeito, temos algumas dificuldades na área da saúde, mas qual município, ainda mais sendo do interior que não possui? Porém Butiá tem Secretaria de Saúde e um secretário à frente da pasta que procura conduzi-la da melhor maneira possível. No referido veículo de comunicação, na programação da tarde, um metido a cientista político, que foi um fiasco como secretário de saúde em determinada gestão, estava dando seus “pitacos” sobre o assunto, ninguém merece...

Posteriormente, a ex primeira-dama, vereadora da oposição, sem nada para fazer, resolveu se “invocar” com as casas populares entregues pela atual gestão, alegando que as mesmas estão com propagandas eleitorais da candidata petista a presidência. Ora! Que ridículo! Isso é recalque, pois se a “família Perón made in Butiá” estivesse no poder com certeza forçaria estas pessoas a colocarem propagandas tucanas nas residências, digo forçando no sentido literal da palavra, porque é a especialidade desse partido, fato comprovado enquanto desgovernavam Butiá, é a perseguição e a repressão.

A “cereja do bolo” foi colocada pelo pessoal que manipula as comunicações em nossa cidade, “lançando” seu candidato a prefeito, o ancora da Rede Bandeirantes, visando exclusivamente os interesses das elites, alheio aos interesses do povo, mas este, não tem respaldo popular...

To cansado desta emissora “dar as cartas” no cenário político butiaense, manipulando a opinião pública, ela é uma legítima representante do PIG (Partido da Imprensa Golpista) composta pela Veja, Globo, Estadão, RBS... Gazeta Mineira (esta nem vou comentar, não serve nem para por no chão do banheiro.

Ah! Não posso esquecer-me de comentar a perseguição desferida contra o Secretário de Agricultura e Meio Ambiente Éverton Pereira, devido a sua coluna de publicação semanal no outro jornal local. Acontece que a verdade dói e despertou a fúria da oposição, o próprio Jesus disse: “Conheceis a verdade e a verdade vos libertará” (Jo 8,32). Censuraram seu artigo. Os “ofendidos” pediram “direito de resposta”, quando o mesmo foi tão pífio quanto sua solicitação.

Butiaenses! Não podemos mais tolerar estes ataques sórdidos e mesquinhos contra um governo que está dando certo! Que caminha de mãos dadas com a comunidade! O povo butiaense não é burro! Estão atentando contra a nossa inteligência! Vamos dar um basta à manipulação provinda de uma oposição medíocre e de um veículo de comunicação faccioso, tendencioso que visa somente seus interesses escusos! O boicote é a resposta do povo! E na eleição de 2012 daremos o “troco” nas urnas! Pois queremos um BUTIÁ PARA TODOS!

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

493 anos da Reforma Protestante

Adriano Couto


No domingo dia 31 de outubro, comemoramos o dia da Reforma Protestante. Há exatamente 493 anos atrás que um monge subversivo, porém cativo a consciência do evangelho, afixou na porta da catedral de Wittenberg, suas 95 teses. Dentre muitos aspectos abordados, Lutero denunciou o abismo que havia entre a igreja de Roma e a Palavra, criticou também a corrupção moral do papado, e profetizou contra as insanidades daqueles que estavam negociando financeiramente a salvação da alma dos homens.

Sendo protestante ou não, você há de convir que este evento mudou completamente a história da humanidade. Por isso gostaria de homenagear esta data tão significativa fazendo apenas uma breve alusão à coragem protestante.

Precisamos reconhecer que o movimento da reforma não se resumiu a este ato isolado de Lutero. Muitos outros dedicaram suas vidas contra a monopolização da mensagem do Evangelho. Foi, portanto, um movimento inteiramente marcado pela coragem de alguns homens, que ousaram enfrentar reinos, autoridades, papas, e toda a tirania dos poderosos. Refiro-me em especial os quatro grandes nomes da reforma: Lutero, Zuínglio, Calvino e Menno Simons.

Lutero foi intimado, ameaçado de morte, e forçado a retratar-se diante do poder imperial. Foi na Dieta de Worms (sessão do governo imperial) na Alemanha, chefiada pelo imperador Carlos V, que Lutero foi convocado para desmentir suas teses. O processo foi longo, durou muitos dias, e uma pressão enorme foi feita para que Lutero voltasse atrás. Como ele reagiu? Lutero se retratou ou não? Como ele respondeu diante de todos em Worms?

"Visto que vossa sereníssima majestade e vossas nobres altezas exigem de mim resposta clara, simples e precisa, vou dá-la, e é esta: Não posso submeter minha fé, quer ao papa, quer aos concílios, porque é claro como o dia que ele têm frequentemente errado e se contradito um ao outro. A menos que eu seja convencido pelo testemunho das Escrituras, não posso retratar-me e não me retratarei, pois é perigoso a um cristão falar contra a consciência. Aqui permaneço, não posso fazer outra coisa; queira Deus ajudar-me. Amém".

Hoje falta "homens com peito" para enfrentar, com coragem protestante, os desafios do mundo moderno, não falo somente da igreja, mas também das causas sociais principalmente. A luta do cristão não deve se resumir aos caminhos da instituição cristã, mas principalmente ao estabelecimento da justiça na terra. Portanto, urge a necessidade de profetas corajosos que denunciem a perversidade dos sistemas de exclusão social, que lutem em favor dos bilhões de miseráveis da terra, e que não se calem diante da omissão da igreja e dos políticos frente aos problemas da humanidade, pois certa vez Helvétius sentenciou sabiamente: “a verdade tem muitos pregadores e poucos mártires”.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

COLUNA CENSURADA PELA OPOSIÇÃO AO GOVERNO MUNICIPAL

Amigos e amigas leitores,

Esta semana não será publicada minha coluna semanal no Butiá Notícias
devido a utilização do espaço pela oposição ao Governo Municipal como
direito de resposta a coluna escrita abaixo e publicada na última
edição do jornal em 15 de outubro.

Pela forma que estão agindo ultimamente, parecem estar com medo de 2012.
Será que estamos tão fortes assim?

Abraço,

Everton Pereira




BUTIÁ, O RIO GRANDE E O BRASIL

Publicado no Butiá Notícias Edição 621 de 15 e 16 de outubro de 2010.

Nunca em sua história, Butiá teve uma perspectiva tão positiva de desenvolvimento social e econômico como esta que se desenha com os resultados das eleições que ainda estão em curso. O PT, partido que governa a cidade, obteve não só as melhores votações de seus deputados estaduais e federais, como foi o partido com o maior número de candidatos com votos. Maria do Rosário foi a deputada federal campeã de votos. Paim o senador. Aldacir Oliboni, Raul Pont e Stela Farias estão entre os quatro deputados estaduais mais votados em nosso município. Isso sem falar nas votações expressivas de Henrique Fontana, Marco Maia e Pepe Vargas, todos reeleitos deputados federais. O significado do vínculo de Butiá com esta ampla gama de forças políticas representadas por estes mandatos, aliado a conquista do Piratini pelo PT é o fortalecimento político e administrativo do Governo Paulo Machado.

A ligação direta da cidade com diversas lideranças políticas tanto estaduais como nacionais, faz crescer em muito as possibilidades de ampliação – que, diga-se de passagem, já são grandes - da destinação de recursos para o município. Unindo as forças políticas já citadas do PT com as do PDT, PPS e futuramente, com toda a certeza, com as dos companheiros socialistas do PSB, criar-se-á uma base de sustentação praticamente imbatível que poderá dar a reeleição facilmente ao prefeito Paulo Machado e ao projeto iniciado em 2005 com o saudoso Sérgio Malta. A parca votação dos candidatos apoiados na cidade pelas principais lideranças do PP e a votação expressiva, mas incapaz de eleger um prefeito, feita pelo PTB, mostra a fragilidade da oposição que apesar de ser maioria numérica na Câmara de Vereadores, mostra-se inferior nos quesitos qualidade, propostas e força política.

Desde 2005, Butiá vem assistindo ao melhor governo de sua história, se comparado aos anteriores. Foram retomadas as pavimentações. Os servidores públicos municipais nunca foram tão bem tratados. A assistência social deixou de ser meramente paternalista e passou a garantir cidadania a população de baixa renda e a agricultura familiar jamais obteve tantos investimentos e atenção. Mas muito ainda deve ser feito, principalmente nas áreas de saúde e geração de empregos, embora também nestas todos os índices são melhores que os dos governos passados. E para Butiá continuar avançando, o Brasil também deve seguir crescendo. O elo que une governo municipal, governo estadual e governo federal, deve ser selado como nunca antes aconteceu. E é na vitória de Dilma Roussef no segundo turno que reside a certeza de que isso acontecerá. Dilma já provou ter uma atenção especial com nossa região quando como Secretária Estadual de Minas e Energia do Governo Olívio liberou as obras da Jacuí I. Provou não ser contra o carvão - como quis fazer crer a oposição raivosa e mentirosa – quando como Ministra de Minas e Energia de Lula ampliou o percentual deste mineral na matriz energética nacional e depois na Casa Civil investiu pesado através do PAC na CGTEE de Candiota. Nada menos que nosso futuro está em nossas mãos! Butiá pode deixar de ser coadjuvante para se tornar protagonista no desenvolvimento de nossa região. Para isso já temos muito do que precisamos, carecemos agora da inteligência necessária para fechar este elo e seguir avançando com o Brasil e o Rio Grande.


Fonte: Blog Galope Soberano

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Moradores denunciam racismo na Vila Julieta

Adriano Couto


Obs.: Reportagem publicada por mim no Jornal Sobral de Butiá na edição nº. 076 do dia 12 de fevereiro de 2005, quando fui repórter do referido jornal.


No dia 02/02/2005, às 19h30min, houve uma reunião dos moradores da Rua Antero Gomes de Oliveira, com a Drª. Irani Martins de Medeiros, para discutir e buscar uma solução, por ter sido apreendido um menor negro por estar “perturbando o sossego alheio”. Segundo moradores o fato é inverídico e a apreensão só aconteceu por discriminação ao menor.

A denúncia de preconceito racial partiu dos moradores. Eles relataram que os jovens estavam jogando futebol em frente ao PSF da Vila Julieta, antigo orfanato, logo após um morador ligou para a Brigada Militar para dar um “susto” nos jovens, pois alegava que os mesmos estavam perturbando.

Em seguida chegou a viatura da Brigada Militar com o PM Bica e o Conselheiro Tutelar Antonio Lima, o Toni. Na hora do incidente só estavam presentes os menores L.A. M e outra menina que estavam conversando. Os moradores afirmaram que o PM Bica pegou o menor pelo braço e o jogou dentro da viatura, sem o menor ter feito nada. A única reação que teve o jovem foi pedir para falar com os pais. O PM usava de expressões tais como “macaco” e “negro sujo”. Os vizinhos estão acusando o policial de racismo e abuso de autoridade, porque o PM Bica anteriormente já fora vizinho do menor e diversas vezes o agredia com insultos racistas.

Após a apreensão, os vizinhos tomaram providências para liberar o jovem. Os vizinhos têm o menor como uma pessoa bem quista e respeitada por todos.
Quinta-feira, dia 03/02, a mãe do menor e a Drª Irani compareceram na delegacia para registrar ocorrência, com depoimento de testemunhas e com o relato da menina que estava presente ao fato e que não foi apreendida.

Em reunião com os moradores, a Drª Irani colocou que: “É inadmissível que um PM e um conselheiro tutelar conduzam um adolescente que não cometeu nenhuma infração para a Delegacia, impedindo inclusive, que ele comunicasse seus responsáveis. A atitude é inadmissível e as providências devem ser tomadas.” Falou também da realidade dos jovens butiaenses e de sua idéia para fechar uma rua em cada bairro em determinado horário, para que os jovens possam praticar esportes, com orientação de profissionais na área de Educação Física e com materiais esportivos, projeto este que ela viu ser aplicado em Brasília. Discutiu esta idéia com os moradores e estes concordaram dando o seu apoio para o que fosse necessário.

Segundo Toni: “O menor foi conduzido pela Brigada Militar até a Delegacia para ser ouvido e para dizer o nome dos que jogaram com ele ali no local do fato. Mas eu, como Conselheiro Tutelar, acompanhei esta ocorrência para proteger o menor, e mesmo assim houve boatos de que o policial Bica o teria agredido, teria empurrado ele ou insultado com alguns palavrões. Nada disso aconteceu, o que ocorreu que o PM disse o seguinte: “Você está detido e nós vamos te levar para a delegacia para você ser ouvido.” A princípio eu, como conselheiro tutelar, não intervi porque eu não sou autoridade policial para fiscalizar o ato do menino jogar bola na estrada é uma infração penalmente imputável ou não. Eu não conheço o Código Penal completo, conheço o Estatuto da Criança e do Adolescente, e eu não poderia barrar um policial no exercício da sua função.” Disse o conselheiro.

Caros leitores transcrevi esta matéria publicada por mim na época repórter do Jornal Sobral que foi publicada na edição nº. 076 do dia 12 de fevereiro de 2005 que causou muita polêmica na cidade, matéria esta que quase me levou pro xilindró! Pois estava apresentando uma denúncia muito grave, acusando um brigadiano de racismo. Então como repórter, fui imparcial, procurei o acusado para expor a sua versão, já que havia ouvido os moradores e o conselheiro tutelar, então fui primeiramente à corporação, onde seus colegas alegaram que não poderiam fornecer seu endereço por questão de segurança (desculpa esfarrapada), mas por meus meios descobri o endereço do policial, quando o procurei se escondeu, somente na segunda tentativa o localizei, porém ele não quis dar entrevista, mas informalmente ele negou todas as acusações.

Alguns dias depois estando na redação do Jornal, recebo uma intimação para prestar esclarecimentos na Delegacia de Polícia, pois o referido policial foi prestar queixa sobre o conteúdo da reportagem que o acusava gravemente (acostumado com os tempos da ditadura, no qual a baioneta silenciava a imprensa). Assim fui por duas vezes prestar depoimento, assim também como os moradores daquela localidade.

Em depoimento confirmei tudo que havia escrito e a versão dos moradores se encaixavam com meu relatório, as provas eram explícitas, não havia como o referido policial refutar, pois contra fatos não existem argumentos. Lembro que após o fato intensificavam-se as ameaças de processo de ambos os lados, mas precisamente entre o policial e advogada, que se não me engano eram desafetos, mas no final ficou tudo por isso mesmo e o caso foi arquivado.

Mas porque trago à tona um assunto de cinco anos atrás? Porque na realidade o racismo sempre existiu e ainda hoje presenciamos episódios lamentáveis como este, isto tem que ter fim! Se for dissertar sobre o racismo aqui, muitas páginas não seriam o suficiente para explanar tal absurdo e ignorância, sendo inadmissível que numa sociedade que se diz pós-moderna, esclarecida possam ocorrer atos tão pífios, medíocres, mesquinhos como este, que merecem meu total repúdio!