segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Sobre a importância da leitura




Adriano Couto

A paixão pelos livros é uma paixão muito rara, mas é uma das mais belas que existem. Está ligada a sede de conhecimento. Essa paixão pode ser bem ilustrada por uma frase de Erasmo de Roterdã: "Quando tenho algum dinheiro compro livros. Se ainda me sobrar algum, compro roupas e comida".

Livros antes de roupas e comida? Quem cultiva essa paixão entende bem a dimensão dessa frase. Do jeito que se bebe água para saciar a sede do corpo, se lê livros para saciar a sede da alma. "Ler é beber e comer. O espírito que não lê emagrece como um corpo que não come", ensinava o grande escritor Victor Hugo.

O objetivo deste texto não é “bater na mesma tecla”, mas sim provocar a reflexão em torno da importância da leitura. Todo mundo sabe que ler é bom, traz conhecimento e demais jargões que ouvimos por aí... Quanto a mim, afirmo que sem livros não sou nada, sou cego, surdo e mudo, me enquadro exatamente na afirmação de Erasmo de Roterdã citada acima. A leitura me faz interagir com o mundo, compreender o ser humano, a sociedade, realmente é maravilhoso, indescritível.

A riqueza literária é imensa, existem livros para todos os gostos, para todos os tipos de pessoas, ainda mais nos dias de hoje que vivemos na era da informação. Sempre digo que o livro é Instrumento de liberdade e poder!

Cito aqui alguns pensamentos acerca da importância da leitura: "Um país se faz com homens e livros" (Monteiro Lobato); "A palavra é o meu domínio sobre o mundo” (Clarice Lispector); "Um livro aberto é um cérebro que fala; Fechado, um amigo que espera; Esquecido, uma alma que perdoa; Destruído, um coração que chora". (Voltaire).

Com o advento das redes sociais, onde “pipocam” redes para todos os gostos, “tribos”, foi criada também uma rede social colaborativa brasileira destinada para leitores que é o Skoob (http://www.skoob.com.br), lançado em janeiro de 2009 pelo desenvolvedor Lindenberg Moreira. Sem publicidade, o site cresceu com propaganda boca a boca e se tornou um ponto de encontro para leitores e novos escritores, que trocam sugestões de leitura e organizam reuniões em livrarias. Atualmente permite interatividade com outras redes sociais, como o Twitter e o Facebook, bem como com lojas de comércio eletrônico como a Saraiva, Americanas.com e Submarino.

Existem os pockets (livros de bolso) que popularizou e muito o acesso aos grandes clássicos da literatura mundial, a preços acessíveis, os mais conhecidos são da LP & M (a maior coleção de livros de bolso do Brasil) e da Martin Claret (a obra prima de cada autor), costumo também adquirir livros e revistas nos sebos, que são as lojas onde vendem livros usados.

Como leitor inveterado e devido à grande importância que a leitura tem para mim, me ocorre às seguintes situações (quem gosta muito de ler, com certeza vai se identificar em alguns itens citados aqui): Passo horas numa livraria folheando livros, mesmo que não vá comprar nenhum livro; tento formar coleções de autores; já pensei em ser dono de livraria; já pensei em trabalhar em livraria, mas ia ficar devendo o salário no final do mês; adoro ganhar livros; tenho sempre um livro na mochila; gosto muito de ler dentro do ônibus (e também não sinto enjôo ou tontura); deixo de comprar algo importante para comprar livros; gosto muito de conversar sobre leitura, autores, teorias e etc.; escrevo muito em meus livros e marco com canetinha marca texto; quando sai filme de livro, geralmente o livro é melhor que o filme (mas sempre é bom olhar o filme); costumo rir (alto) enquanto estou lendo histórias engraçadas; gosto de reler meus livros sempre que dá vontade; uma boa companhia pra leitura é uma xícara de café; gosto muito de ler tirinhas; quando pego um livro vou direto lendo a contra capa ou o resumo e claro, não trocaria os livros de papel por nada desse mundo, detesto ler livros no computador, não tem olhos que resistam, é muito cansativo.

Citei anteriormente, que existe literatura para todos os gostos, porém acredito que o mercado está saturado com informação desnecessária, tem muita bobagem circulando por aí e grande parte da população acaba não tendo acesso a conteúdo de qualidade. Vemos em bancas, caixas de supermercado, postos de combustíveis muitas futilidades, revistas chamativas, cores berrantes, poucas páginas e totalmente desinteressantes, que não acrescentam absolutamente nada culturalmente.

Então leia! Leia muito! Revolucione-se culturalmente, leia mais para ser mais! Busque literatura de qualidade na área que venha a se adequar ao seu gosto. Na internet existem resumos e tudo que quiser pesquisar, mas nada substitui a leitura de livros, jornais e revistas, a leitura te proporciona olhar o mundo sob uma nova ótica e consequentemente, vai enriquecer o teu vocabulário, fará com que domines um linguajar culto. O livro te torna uma pessoa erudita, polida, culta naturalmente e para quem gosta de falar em público, o domínio de um vocabulário rebuscado fará abrilhantar os vossos discursos.

A leitura provoca a libertação cultural, política, promove a intelectualidade, tira o homem da alienação, do ostracismo e do seu “mundinho”, te permite viajar ao redor do mundo sem sair de casa, desperta a imaginação, faz dialogar com quem pensa diferente e faz com que reflitamos sobre a realidade que nos cerca, enfim, são inúmeros os benefícios que a leitura nos proporciona.

E para finalizar esta breve reflexão, deixo a sentença do grande advogado e orador romano Marco Túlio Cícero, numa frase provocante: "Uma casa sem livros é como um corpo sem alma".

Nenhum comentário:

Postar um comentário