quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Vaticano: Papa explica silêncio de Deus

Bento XVI reflete sobre o Salmo 22, retomado por Cristo na cruz


Cidade do Vaticano, 14 set 2011 (Ecclesia) – O silêncio divino diante das injustiças humanas e dos pedidos de auxílio dos crentes, motivo de questionamento para fiéis e argumento justificador da inexistência de Deus, constituiu o tema da catequese proferida hoje por Bento XVI no Vaticano.

“Rodeado por inimigos que o perseguem”, o autor do Salmo 22 da Bíblia, centro da audiência geral desta manhã, “grita dia e noite por socorro, e no entanto Deus permanece aparentemente em silêncio”, assinalou o Papa.

A oração “pede escuta e resposta, solicita um contacto, procura uma relação que possa dar conforto e salvação”, mas “se Deus não responde, o grito de ajuda perde-se no vazio e a solidão torna-se insustentável”.

A pergunta que o salmista coloca no segundo dos 32 versículos do poema, “Meu Deus, meu Deus, porque me abandonaste?”, foi mais tarde repetida por Cristo na cruz, dando voz a uma inquietação que atravessa a história judaica e cristã.

A dúvida de Jesus exprime toda a sua “desolação” perante o “drama da morte, realidade “totalmente contraposta” ao Deus da “vida”, apontou Bento XVI, para quem “a vitória da fé pode transformar a morte em dom da vida, o abismo de dor em fonte de esperança”.

O Salmo, um dos mais estudados da Bíblia, “eleva um lamento doloroso a Deus, que parece estar distante, mas o salmista, pela certeza de fé, sabe que virá em seu socorro”, referiu o Papa.

Para Bento XVI, o silêncio divino “mina o ânimo do orante”: “O salmista não pode crer que a relação com Deus tenha sido totalmente interrompida”, pelo que lhe pergunta “o motivo de um abandono tão incompreensível”.

A resposta ao dilema de uma divindade que na Bíblia é apresentada como toda-poderosa mas que aparentemente se mostra ausente das angústias humanas reside na confiança: “Nós também, na oração, aprendemos a discernir a realidade para além das aparências”.

O Papa apelou aos fiéis reunidos no auditório Paulo VI para se apoiarem “sobre a fé dos outros e sobre a fé da Igreja”, que testemunham a “fidelidade” divina: “Ao longo da história bíblica vemos Deus responder aos apelos do seu povo, dando-lhe a salvação”.

Nas palavras proferidas em língua portuguesa, Bento XVI saudou a presença dos membros da União Missionária Franciscana provenientes de Portugal e lembrou a festa litúrgica que a Igreja Católica assinala hoje.

“Neste dia da Exaltação da Santa Cruz, deixemo-nos invadir pela luz do mistério pascal, para reconhecermos o caminho da exaltação precisamente na humilhação, colocando toda a nossa esperança em Deus, e assim o nosso grito de ajuda transformar-se-á em cântico de louvor”, disse o Papa.

RM


Fonte: Site Agência Ecclesia



P.S: Sinceramente? Não em convenceu! o homem tem anseio por respostas diante do sofrimento que é submetido diariamente...a velha pergunta: Se Deus é tão bom, porque permite que seus filhos sofram e contempla tudo passivamente?

Um comentário:

  1. QUANDO ME VÊM ESSAS QUESTÕES SEMPRE ME LEMBRO DA MÚSICA DO RAPER BOSS AC:


    "Há perguntas que têm que ser feitas...

    Quem quer que sejas, onde quer que estejas,
    Diz-me se é este o mundo que desejas,
    Homens rezam, acreditam, morrem por ti,
    Dizem que estás em todo o lado mas não sei se já te vi,
    Vejo tanta dor no mundo pergunto-me se existes,
    Onde está a tua alegria neste mundo de homens tristes?
    Se ensinas o bem porque é que somos maus por natureza?
    Se tudo podes porque é que não vejo comida á minha mesa?
    Perdoa-me as dùvidas, tenho que perguntar,
    Se sou teu filho e tu amas porque é que me fazes chorar?
    Ninguém tem a verdade o que sabemos são palpites
    Se sangue é derramado em teu nome é porque o permites?
    Se me destes olhos porque é que não vejo nada?
    Se sou feito á tua imagem porque é que durmo na calçada?
    Será que pedir a paz entre os homens é pedir demais?
    Porque é que sou discriminado se somos todos iguais?

    Porquê?!

    Porquê que os Homens se comportam como irracionais?
    Porquê que guerras, doenças matam cada vez mais?
    Porquê que a Paz não passa de ilusão?
    Como pode o Homem amar com armas na mão? Porquê?
    Peço perdão pelas perguntas que tem que ser feitas
    E se eu escolher o meu caminho, será que me aceitas?
    Quem és tu? Onde estás? O que fazes? Não sei...
    Eu acredito é na Paz e no Amor...

    Por favor não deixes o mal entrar no meu coração,
    Dou por mim a chamar o teu nome em horas de aflição,
    Mas tens tantos nomes, és Rei de tantos tronos,
    E se o Homem nasce livre porque é que é alguns são donos?
    Quem inventou o ódio, quem foi que inventou a guerra?
    Ás vezes acho que o inferno é um lugar aqui na Terra,
    Não deixes crianças sofrer pelos adultos,
    Os pecados são os mesmos o que muda são os cultos,
    Dizem que ensinaste o Homem a fazer o bem,
    Mas no livro que escreveste cada um só leu o que lhe convém,
    Passo noites em branco quase sem dormir a pensar,
    Tantas perguntas, tanta coisa por explicar,
    Interrogo-me, penso no destino que me deste,
    E tudo que acontece é porque tu assim quiseste,
    Porque é que me pões de luto e me levas quem eu amo?
    Será que essa é a justiça pela qual eu tanto reclamo?
    Será que só percebemos quando chegar a nossa altura?
    Se calhar desse lado está a felicidade mais pura,
    Mas se nada fiz, nada tenho a temer,
    A morte não me assusta o que assusta é a forma de morrer...

    Porquê que os Homens se comportam como irracionais?
    Porquê que guerras, doenças matam cada vez mais?
    Porquê que a Paz não passa de ilusão?
    Como pode o Homem amar com armas na mão? Porquê?
    Peço perdão pelas perguntas que tem que ser feitas
    E se eu escolher o meu caminho, será que me aceitas?
    Quem és tu? Onde estás? O que fazes? Não sei...
    Eu acredito é na Paz e no Amor...

    Quanto mais tento aprender, mais sei que nada sei,
    Quanto mais chamo o teu nome menos entendo o que te chamei!
    Por mais respostas que tenha a dúvida é maior,
    Quero aprender com os meus defeitos, acordar um homem melhor,
    Respeito o meu próximo para que ele me respeite a mim,
    Penso na origem de tudo e penso como será o fim,
    A morte é o fim ou é um novo amanhecer?
    Se é começar outra vez então já posso morrer..."

    BOSS AC - QUE DEUS

    ResponderExcluir