sábado, 7 de janeiro de 2012

O Evangelho segundo o republicano Rick Santorum



Deus, pátria e família são os cavalos de batalha da estrela emergente na corrida para a nomeação republicana para a Casa Branca, considerado o vencedor moral do caucus de Iowa como o segundo colocado por apenas oito votos. A religião e os valores cristãos foram, desde o início, os temas centrais da sua campanha eleitoral. Nos debates televisivos dos últimos meses, Santorum reiterou a sua hostilidade ao matrimônio homossexual, à contracepção e ao aborto, mesmo em caso de estupro.

Vatican Insider

Reportagem do Vatican Insider 04-01-2012. A tradução de Moisés Sbardelotto/site IHU.

Deus, pátria e família são as linhas-guia de Rick Santorum, estrela emergente da corrida para a indicação republicana para a Casa Branca, considerado o vencedor moral do caucus de Iowa como o segundo colocado por apenas oito votos. E, de fato, depois da divulgação dos resultados, Santorum repetiu obrigado três vezes: à esposa, a Deus e a Iowa.

A religião e os valores cristãos foram, desde o início, os temas centrais da sua campanha eleitoral. Nos debates televisivos dos últimos meses, Santorum, que assiste à missa em latim todos os domingos em uma igreja perto de Washington, reiterou a sua hostilidade ao matrimônio homossexual, à contracepção e ao aborto, mesmo em caso de estupro.

A pátria e a sua defesa, obviamente, são os campos favoritos de Santorum para atacar o atual ocupante da Casa Branca, que, a seu ver, é o presidente mais divisivo de sempre, porque, "discurso após discurso, tentando dividir a América, por classes, por rendas, por grupos raciais e étnicos".

Mas, com relação ao Irã, por exemplo, Obama é "ingênuo", enquanto ele estaria pronto para bombardear as instalações nucleares iranianas, se o Teerã se recusasse a recuar em seus programas militares. E, novamente, Santorum defende que "a América está em guerra com o fascismo islâmico", enquanto Obama "não diz que o jihadismo é o mal, não diz que a sharia [lei islâmica] é incompatível com a civilização ocidental e os Estados Unidos".

A família, entretanto, é tradicionalmente, desde a sua atividade parlamentar, um dos cavalos de batalha de Santorum, que, em dezembro, em particular, comoveu o país respondendo a uma pergunta sobre como ele poderia continuar a sua campanha eleitoral quando a menor dos seus sete filhos, Bella, possui uma doença terminal, e a sua vida, segundo ele, é "medida em dias e semanas".

Falando com a jornalista do canal ABC Christiane Amanpour, que lhe perguntou por que ele continuava a campanha eleitoral, dadas as condições de saúde de Bella e também as pesquisas em que ele então estava entre os últimos lugares entre os candidatos, Santorum respondeu: "Eu não me preocupo com as pesquisas. Eu me preocupo em tentar ser o melhor pai e marido possível. E, obviamente, uma grande parte disso é fazer com que possamos ter um país que respeite a vida e um país que seja livre, seguro e próspero para todos os meus filhos".


Fonte: Site Carta Maior

Nenhum comentário:

Postar um comentário