sábado, 4 de fevereiro de 2012

Presidente Obama diz que se fundamenta na fé cristã ao governar EUA



O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, procurou nesta quinta-feira enfatizar sua fé cristã ao declarar a um importante grupo de eleitores que reza todos os dias pela manhã e molda aspectos de sua política econômica nos ensinamentos de Jesus Cristo.

Em um pronunciamento a cerca de 3 mil participantes de um evento denominado Café-da-Manhã da Oração Nacional, em Washington, Obama afirmou que os desafios enfrentados pelos Estados Unidos exigem que ele escute a Deus, evite "falsa religiosidade" e assuma atitude corajosa "diante da resistência ou indiferença".

Obama raramente vai à Igreja e costuma falar menos de religião do que seus antecessores no cargo.

"Acordo todas as manhãs e faço uma pequena prece, e dedico um pouco de tempo às escrituras e à devoção", disse Obama no evento anual, realizado num hotel de Washington.

Ele também afirmou que pastores passam periodicamente pelo Salão Oval (seu gabinete na Casa Branca), telefonam para ele ou lhe enviam e-mails, de modo que possam rezar em conjunto.

"Eu não os impeço (de fazer isso). Eu seria negligente se os impedisse, se os meus valores se limitassem a momentos pessoais de oração ou conversas particulares com pastores ou amigos", disse ele. "Tenho de tentar me certificar de que esses valores me motivam como líder desta grande nação."

ELEITORADO RELIGIOSO

Os eleitores norte-americanos se preocupam muito com religião. Dois terços deles dizem ser importante que um candidato presidencial tenha forte crença religiosa.

Quando Obama surgiu no cenário político nacional, muitos norte-americanos não estavam certos sobre a religião dele e 1 de cada 5 pensava que ele fosse muçulmano. O presidente disse anteriormente que, embora não tenha crescido numa família religiosa, se tornou cristão quando adulto "por opção".

Nesta quinta-feira, ele descreveu um evento de 2010 com o líder evangélico Billy Graham como transformador para seu pensamento religioso, dizendo que havia "rezado com o coração" no retiro de Graham no Estado da Carolina do Norte e, depois, frequentemente.

"Eu me ajoelhei com grande regularidade desde aquele momento, pedindo orientação a Deus não apenas em minha vida pessoal e meu percurso cristão, mas para a vida desta nação e os valores que nos unem e nos mantêm fortes", afirmou.

O pré-candidato republicano Mitt Romney, o mais provável oponente de Obama na eleição presidencial de 6 de novembro, é cristão mórmon, religião com valores socialmente conservadores.

Obama, do Partido Democrata, não fez referência a Romney em seus comentários no café-da-manhã, mas deu ênfase à atenção que vem dando aos pobres e à luta contra a desigualdade no país.

Com isso, ele estava claramente tentando estabelecer um contraste com Romney, o favorito entre os republicanos e que foi amplamente criticado na quarta-feira por ter dito que "não estava preocupado com os muito pobres".



Fonte: Reuters/ Blog Libertos do Opressor

Nenhum comentário:

Postar um comentário