quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Você é de esquerda ou de direita?



Publicado em 29/12/2013





"NO BRASIL, REVOLUCIONÁRIO É SER LIBERAL". - Entrevista IMPERDÍVEL para o programa "Painel", da Globo News, com Luiz Felipe Pondé, Reinaldo Azevedo e Bolívar Lamounier, sob o comando de William Waack.


➨ Curta: https://www.facebook.com/CanalDaDireita


O tema é direita e esquerda na política nacional. Algo
muito raro no Brasil, tivemos três participantes que não se identificam com o tradicional pensamento de esquerda, predominante no país.


Direita e esquerda no Brasil contemporâneo: debate no "GloboNews Painel"
http://veja.abril.com.br/blog/reinald...=



Fonte: Blog Libertatum
http://libertatum.blogspot.com.br/2014/02/voce-e-de-esquerda-ou-de-direita.html

10 Malucas teorias da conspiração na literatura

O Listas Literárias revela hoje segredos perigosos, e verdades impressionantes que podem abalar as estruturas literárias. Nesta lista 10 malucas conspirações literárias:

1- Stephen King matou John Lennon: Pois é caros amigos, para o escritor Steve Lighfoot quem matou John Lennon foi mesmo o mestre do terror Stephen King, história a qual ele publicou seu livro Stephen King Shot John Lennon. Segundo ele, King teria sido contratado por Ronald Reagan e Richard Nixon, citando inclusive que em seus livros Salem e A Zona Morta conteriam pistas deste segredo;

2 - O Apanhador no Campo de Centeio e a Lavagem Cerebral: Um dos romances mais polêmicos de todos os tempos coleciona mistérios em seu entorno. Muitos creditam ao livro de J. D. Salinger a capacidade de induzir a assassinatos. Já alguns teóricos da conspiração chegam a dizer que o autor era um agente da CIA, e seu livro funcionava como um mecanismo de controle;

3 - Albert Camus foi morto pela KGB: Oficialmente morto em uma acidente de carro 2 anos após receber o Nobel de Literatura, a possibilidade de o autor ter sido assassinado pela KGB foi ventilada pelo jornal italiano Corriere Della Sera, no entanto seus principais biógrafos afirmam não haver referência nos arquivos da União Soviética que possam comprovar isto;

4 - J. K. Rowling Não Existe:  Para Nove Grunfeld Harry Potter teria sido escrito por uma equipe de escritores contratados por uma empresa, e Rowling seria tão somente uma atriz contratada para cumprir seu papel como autora dos livros

5 - ;Lewis Carrol foi Jack, O Estripador:   O teórico da conspiração Richard Wallace afirma em seu livro Jack the Ripper, Light-Hearted Friend, que Carrol e seu amigo Thomas Very Baine estariam por trás da identidade deste criminoso que ainda hoje inflama a criatividade de escritores e historiadores;

6 - Edgar Allan Poe foi assassinado por maçons: Já havia falado aqui no blog dascircunstâncias estranhas envolvendo a morte de Poe. Dentre algumas teorias que dariam o escritor como assassinado está a que imputa aos maçons sua morte porque o autor havia exposto-os em alguns de seus contos;

7 - Ser ou não ser, eis a questão?: Pois não é que até hoje a autoria das obras de Shakespeare são questionadas? Muitos não conseguem crer que a poesia e a dramaturgia de um dos autores mais célebres da história possa ter nascido de um plebeu, e entre os notáveis que já questionaram a autoria de Shakespeare estão Charlie Chaplin, Vanessa Redgrave, Sigmund Freud, Charles Dickens, e Orson Welles;

8 -  Tom Clancy teria participado de uma trama no 11 de Setembro:  Para Carol Valentine o escritor teria participado de uma estratégia para dar credibilidade aos ataques de 11 de setembro. Para ela, o livro de Clancy Dívida de Honra de 1994 em que um terrorista derruba um avião no Capitólio já faria parte da preparação. Para a teórica os ataques de 11 de setembro foram realizados por Israel e o próprio Estados Unidos;

9 -  Charlotte Bronte matou as irmãs: Para o criminologista James Tully autor de um livro chamado Os Crimes de Charlotte Bronte ela teria envenenado as irmãs por inveja da fama de ambas, ao contrário da versão oficial de que as irmãs teriam morrido de tuberculose;

10 - Tolkien e Lewis seriam ocultistas?: Principais nomes da fantasia os criadores da Terra-Média, e de Nárnia instigam seus leitores. Para alguns teóricos ambos autores usariam referências ocultistas em suas obras como "O olho que tudo vê" representado por Sauron, e Aslan como representação de divindades pagãs em Nárnia;



Fonte: Blog Listas Literárias
http://listasliterarias.blogspot.com.br/2013/12/10-malucas-teorias-da-conspiracao-na.html

Socialismo é barbárie - Luiz Felipe Ponde (FSP)

Socialismo é barbárie
LUIZ FELIPE PONDÉ
FOLHA DE S.Paulo, 24/02/2014

A esquerda está em pânico porque estava acostumada a dominar o debate público

Se eu pregar que todos que discordam de mim devem morrer ou ficarem trancados em casa com medo, eu sou um genocida que usa o nome da política como desculpa para genocídio. No século 20, a maioria dos assassinos em massa fez isso.

O Brasil, sim, precisa de política. Não se resolve o drama que estamos vivendo com polícia apenas. Mas me desespera ver que estamos na pré-história discutindo ideias do "século passado". Tem gente que ainda relaciona "socialismo e liberdade", como se a experiência histórica não provasse o contrário. Parece papo das assembleias da PUC do passado, manipuladoras e autoritárias, como sempre.

O ditador socialista Maduro está espancando gente contra o socialismo nas ruas da Venezuela. Ele pode? Alguns setores do pensamento político brasileiro são mesmo atrasados, e querem que pensemos que a esquerda representa a liberdade. Mentira.

A maioria de nós, pelo menos quem é responsável pelo seu sustento e da sua família, não concorda com o socialismo autoritário que a "nova" esquerda atual quer impor ao país. A esquerda é totalitária. Quer nos convencer que não, mas mente. Basta ver como reage ao encontrar gente inteligente que não tem medo dela.

Ninguém precisa da esquerda para fazer uma sociedade ser menos terrível, basta que os políticos sejam menos corruptos (os da esquerda quase todos foram e são), que técnicos competentes cuidem da gestão pública e que a economia seja deixada em paz, porque nós somos a economia, cada vez que saímos de casa para gerar nosso sustento.

Ela, a esquerda, constrói para si a imagem de "humanista", de superioridade moral, e de que quem discorda dela o faz porque é mau. Ela está em pânico porque estava acostumada a dominar o debate público tido como "inteligente" e agora está sendo obrigada a conviver com gente tão preparada quanto ela (ou mais), que leu tanto quanto ela, que escreve tanto quanto ela, que conhece seus cacoetes intelectuais, e sua história assassina e autoritária.

Professores pautados por esta mentira filosófica chamada socialismo mentem para os alunos sobre história e perseguem colegas, fechando o mercado de trabalho, se definindo como os arautos da justiça, do bem e do belo.

A esquerda nunca entendeu de gente real, mas facilmente ganha os mais fragilizados com seu discurso mentiroso e sedutor, afirmando que, sim, a vida pode ser garantida e que, sim, a sobrevivência virá facilmente se você crer em seus ideólogos defensores da "violência criadora".

Ela sempre foi especialista em tornar as pessoas dependentes, ressentidas, iludidas e incapazes de cuidar da sua própria vida. Ela ama a preguiça, a inveja e a censura.

Recomendo a leitura do best-seller mundial, recém publicado no Brasil pela editora Agir, "O Livro Politicamente Incorreto da Esquerda e do Socialismo", escrito pelo professor Kevin D. Williamson, do King's College, de Nova York. Esta pérola que desmente todas as "virtudes" que muita gente atrasada ou mal-intencionada no Brasil está tentando nos fazer acreditar mostra detalhes de como o socialismo impregnou sociedades como a americana, degradou o meio ambiente, é militarista (Fidel, Chávez, Maduro), e não deu certo nem na Suécia.

O socialismo é um "truque" de gente mau-caráter.

As pessoas, sim, estão insatisfeitas com o modo como a vida pública no Brasil tem sido maltratada. Mas isso não faz delas seguidores de intelectuais e artistas chiques da zona oeste de São Paulo ou da zona sul do Rio de Janeiro.

 A tragédia política no Brasil está inclusive no fato de que inexistem opções partidárias que não sejam fisiológicas ou autoritárias do espectro socialista. Nas próximas eleições teremos poucas esperanças contra a desilusão geral do país.

E grande parte da intelligentsia que deveria dar essas opções está cooptada pela falácia socialista, levando o país à beira de uma virada para a pré-história política, fingindo que são vanguarda política. O socialismo é tão pré-histórico quanto a escravatura.

Mas a esquerda não detém mais o monopólio do pensamento público no Brasil. Não temos mais medo dela.



Fonte: Blog Diplomatizzando
- See more at: http://diplomatizzando.blogspot.com.br/2014/02/socialismo-e-barbarie-luiz-felipe-ponde.html#sthash.rwvH0bVS.dpuf

Rússia negocia presença militar na América Latina

Navios russos de guerra no Mar Negro. Foto: AP
Para analista Moisés Naím, Rússia segue ainda a mentalidade da Guerra Fria
O ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, disse que seu país está pensando em expandir sua presença militar em vários países, incluindo a Venezuela, Cuba e Nicarágua, segundo informações da agência de notícias russa RIA Novosti.
De acordo com o informe da agência, Shoigu disse que a lista de lugares onde as negociações estão mais avançadas para o aumento da presença militar russa inclui Vietnã, Cingapura e Seicheles.
Shoigu disse que o objetivo russo é fazer com que suas Forças Armadas possam usar bases militares, portos e aeroportos em lugares estratégicos no mundo, para missões de patrulha internacional.
A diretora do Centro de Políticas de Defesa e Segurança do centro americano de pesquisas RAND Corporation, Olga Oliker, disse à BBC que a ideia da Rússia é expandir sua influência global.
"Me parece interessante que entre os países mencionados estão nações na América Latina, Ásia e Oriente Médio. Isso é realmente sobre um papel mais global da Rússia, que já sabemos que ela quer ter, e não é surpreendente. Mas é uma confirmação", diz ela.

Ucrânia

Oliker concorda com a análise de Moisés Naím, do departamento de economia internacional da Carnegie Endowment for Peace, outra entidade americana de pesquisas. Naím diz que as declarações do ministro russo têm relação com o momento vivido pela Ucrânia.
"A Rússia e [o presidente Vladimir] Putin estão agindo com a mentalidade da Guerra Fria, em que cada ação da potência rival gera uma resposta parecida. No caso da Ucrânia, que estava prestes a afirmar um acordo de associação com a Europa, Putin interveio de maneira agressiva para impedir que o presidente [Victor] Yanukovych firmasse esse convênio".
Ministro da Defesa da Rússia
Entre países citados por ministro Shoigu estão Venezuela, Cuba e Nicarágua
Yanukovych cedeu aos pedidos russos, o que acabou levando milhares de pessoas. A crise política de três meses desencadeou a queda do presidente russo e a instalação de um governo interino.
Para Naím, Putin viu na pressão do povo nas ruas da Ucrânia uma forma de enfraquecimento do poder russo. Por isso ele estaria considerando agora estabelecer bases militares em outros países.
O analista diz que o anúncio feito pelo ministro russo da Defesa é mais uma questão de "teatro e política interna do que de geopolítica".
"Tem mais a ver com a ideia de reafirmar perante os russos o grande projeto de Putin de tornar a Rússia um grande ator mundial e de ser o grande restaurador da grandeza e da reputação russas."
"A Rússia foi um ator importante [na Síria] e ela quer sublinhar isso", diz Oliker. "E se sente que pode ser um ator importante em outras partes do mundo. O desafio da Rússia é descobrir o que quer realmente ela quer. Ela tem uma agenda na Síria, mas sua agenda na Ásia e na América Latina é muito menos clara."
Em 2008, durante visita oficial à Moscou, o então presidente da Venezuela, Hugo Chávez, manifestou seu apoio à presença militar russa em território venezuelano.

"A Rússia tem potencial suficiente para garantir sua presença em diferentes partes do mundo. Se as Forças Armadas russas quiseram estar na Venezuela, serão recebidas calorosamente", disse Chávez, na época.


Fonte: Site da BBC Brasil
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/02/140227_russia_militares_dg.shtml

Cresce número de pessoas sem religião, dizem especialistas do Rio Grande do Sul


Para antropólogo, crença no sagrado existe e não precisa de mediadores.
Grupo já soma 5% da população do estado e 8% da brasileira.



Cada vez mais cresce no país o número de pessoas que se consideram “sem religião”. Sem uma ligação religiosa com qualquer crença tradicional, elas se dizem mais felizes. No Rio Grande do Sul, esse grupo soma 5% da população, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


Não ter uma religião não significa a perda da fé. De acordo com o antropólogo Rodrigo Toniol, a crença no sagrado existe, mas não precisa de mediadores. Ela está dentro de cada um na forma de energia e espiritualidade.


“Quem se declara como sem religião é, sobretudo, jovem, com idade média de 26 anos. Eles não rejeitam valores religiosos, mas sim a institucionalidade ou até mesmo a mediação de sacerdotes o de uma igreja, por exemplo”, diz o estudioso.


Toniol, que faz parte do Núcleo de Estudos de Religião da UFRGS, diz que o fenômeno dos “sem religião” ganhou força nos últimos anos: o grupo aumentou 70% em duas décadas e hoje representa 8% da população brasileira, de acordo com o censo do IBGE.


“Há 8% de declarantes sem religião, o que significa que se eles fossem considerados como uma religião, seria a terceira maior do país, perdendo apenas para católicos e evangélicos. Espiritualidade e energia são duas palavras-chaves para entender este fenômeno”, explica o antropólogo.


O professor de educação física Tiago Frosi é um admirador da filosofia oriental e garante que encontra a energia na meditação. “É como se fosse essa ideia de que somos parte da natureza do universo, mas não apegado a à ideia de um Deus fora de nós, o qual temos que adorar. Acho que esta divindade, este sagrado, é parte de nós mesmos e de tudo o que está à nossa volta”, diz.


Frosi diz ainda que atualmente se sente mais feliz e mais conectado com os outros do que quando estava inserido em uma religião organizada.


O professor de artes marciais Rodrigo Leitão também buscou apoio em muitas religiões, e procurou tirar de cada uma aquilo que acreditava. “Eu acredito em tudo um pouco e ao mesmo tempo em nada disso, mas não sou sem fé. Eu tenho muita fé na física, por exemplo”, conclui.




Fonte: G1 / Blog Libertos do Opressor
http://libertosdoopressor.blogspot.com.br/2014/02/cresce-numero-de-pessoas-sem-religiao.html

O lado bom do pessimismo

Novos autores criticam os gurus da autoajuda e afirmam que o pensamento negativo pode ser um atalho para uma vida feliz

NATÁLIA SPINACÉ
ATITUDE Os otimistas diriam que este copo está meio cheio. Mas será que isso os torna mais felizes?  (Foto: David Arky/Corbis/Latin Stock)
Minutos antes de enfrentar a Sérvia na final do campeo­nato mundial de handebol feminino, em dezembro, a seleção brasileira ouviu uma preleção pouquíssimo animadora. “Vocês merecem a medalha de prata”, disse o técnico Morten Souback, ao entregar réplicas feitas de papel-alumínio às atletas. “A Sérvia entra na quadra com o ouro na mão. Vocês estão com medo delas.” Determinadas a desmentir Souback, todas se atiraram em cima do treinador, que carregava uma réplica da medalha de ouro. Derrubaram-no e, em seguida, entraram na quadra e venceram as adversárias. “Elas precisavam ser desafiadas”, diz Alessandra Dutra, a psicóloga do time. O pensamento negativo de Souback deu resultado.

Apesar de bem-sucedida, a preleção de Souback causaria arrepios nos gurus de autoajuda. Ela vai contra os dois principais pilares do gênero: o pensamento positivo em tempo integral e a autoestima inabalável, mesmo diante de situações difíceis. Por trás desses dois preceitos está a crença em que o Universo conspirará a nosso favor se acreditarmos que tudo dará certo. A ideia é antiga. No século XIX, uma corrente conhecida como Novo Pensamento já fazia essa pregação. Era uma reação aos calvinistas, que acreditavam que o trabalho duro e incessante era o caminho para a felicidade. Muito mais tarde, livros como O poder do pensamento positivo, publicado pelo pastor americano Norman Vincent Peale, em 1952, transformaram essa teoria num mercado bilionário de livros e palestras. O exemplo mais conhecido é o livro O segredo, da australiana Rhonda Byrne. Lançado em 2006, o livro prega que, para conseguirmos algo, basta imaginarmos o futuro que desejamos e reafirmarmos constantemente nossa crença nele.

Ao fazer exatamente o oposto do que livros como O segredo pregam, Souback  desafiou a hegemonia do pensamento positivo. E mostrou que está na moda. Alguns lançamentos recentes questionam a eficácia das técnicas defendidas pela indústria da autoajuda. Um deles é o Manual antiautoajuda (Paralela, 216 páginas, R$ 34,90), do jornalista britânico Oliver Burkeman, autor de uma coluna sobre psicologia no jornal The Guardian. Burkeman afirma que as técnicas defendidas pelos autores de livros motivacionais não nos ajudam em nada. Pior: elas atrapalham o caminho para a felicidade e a realização.
7 dicas para ser  um bom pessimista (Foto: ÉPOCA)
“A obrigação de ter de evitar pensamentos pessimistas e ser positivo o tempo todo é impraticável para a maioria das pessoas”, disse Burkeman em entrevista a ÉPOCA. “Quanto mais você tenta evitar um tipo de pensamento, mais ele aparece em sua mente.” Ele propõe um teste. Alguém chega até você e diz: “Nos próximos cinco minutos, pense em qualquer coisa, menos num urso- polar”. Segundo Burkeman, essa missão é impossível. Você poderá até tentar se concentrar em seu trabalho ou no que fará no fim de semana, mas certamente esses pensamentos virão acompanhados da imagem de um urso. As preocupações funcionam como o urso. A partir do momento em que você decide evitá-las e fingir que tudo dará certo, elas o assombrarão a cada instante.

O esforço de repetir que tudo dará certo, mesmo quando não acreditamos nisso, tende a piorar a autoestima. Essa é a constatação de um estudo feito sobre o pensamento positivo forçado – a velha técnica de repetir para si mesmo “eu posso” ou “eu sou capaz” – feito pela psicóloga Joanne Wood, da Universidade de Waterloo, no Canadá. Em sua experiência, Wood pediu que um grupo de pessoas com autoestima baixa escrevesse um diário. Toda vez que um sino tocava, eles tinham de repetir para si próprios a frase “sou uma pessoa amável”. Uma série de métodos de medição do humor constatou que as pessoas ficavam bem menos contentes depois de dizer a frase. Como não se sentiam bem, tentar convencer a si mesmas do contrário só reforçava sua negatividade. O pensamento positivo só agravou a situação.  

O otimismo também nos torna mais ansiosos. Qual o mérito de convencer a nós mesmos de que tudo dará certo quando há inúmeras evidências do contrário? Esse tipo de pensamento nos faz acreditar que, se algo der errado, por mais insignificante que seja, será uma catástrofe. Um otimista que segue os preceitos da autoajuda estará despreparado diante de qualquer adversidade.

Um dos principais méritos do pensamento negativo é nos preparar para o pior. “O fracasso faz parte da vida de qualquer ser humano”, diz Burkeman. “Se soubermos lidar com ele de uma maneira mais calma e elegante, só teremos a ganhar com isso.” O melhor é enca­rá-lo. Esse método serve como um antídoto para a ansiedade. Quando você imagina a pior coisa que pode lhe acontecer, percebe que mesmo o pior dificilmente é irremediável. Um exemplo: a hipótese de perder o emprego pode ser terrível. Mas, pensando friamente, há medidas que podem ser tomadas para encontrar outro. O fim de um relacionamento também pode parecer o fim do mundo, mas nada impede que sejamos felizes sozinhos ou encontremos um novo amor. Quanto mais pensamos num futuro sombrio, menos ele nos assustará.

O pessimismo também pode ser a chave para o sucesso pessoal e profissional. “Quem pensa negativo sempre sabe que tem uma possibilidade de ser vencido, então trabalha para reduzir ao máximo essa possibilidade”, afirma o treinador de basquete Bob Knight, maior vencedor na história da liga universitária dos Estados Unidos e autor de O poder extraordinário do pensamento negativo (Agir, 176 páginas, R$ 19,90). Para ele, reconhecer nossas fraquezas é o primeiro passo para aprender a superá-las. O pessimista cuidadoso, diz Knight, leva vantagem sobre o otimista que acredita que tudo dará certo – e, por isso, deixa de melhorar.

Defensores do pensamento positivo costumam dizer que o pessimismo nos deixa desmotivados. Quem não se sente animado em relação a seu futuro profissional, segundo eles, não consegue produzir resultados satisfatórios. Para os gurus do otimismo,  a motivação é um elemento fundamental para a vida funcionar. Burkeman afirma que a motivação é menos importante do que imaginamos, e que esperar por ela pode empacar nossa vida. “Quem disse que, para começar a fazer algo, você precisa esperar até sentir vontade?”, afirma. “A relutância em relação às tarefas chatas não precisa ser transformada em algo positivo. Você pode fazer algo, mesmo se reconhecer que tem vontade de deixar tudo para depois.” Se todos só fossem trabalhar apenas quando tivessem realmente com vontade de fazer isso, todas as empresas no mundo teriam problemas gravíssimos de produtividade, e a economia já teria entrado em colapso. A indústria da autoajuda superestima a motivação. 
 
EFEITO OPOSTO A equipe brasileira de handebol depois de conquistar o ouro no Mundial. Na preleção, o técnico disse que elas mereciam a prata (Foto: Srdjan Stevanovic/Getty Images)
Apesar da campanha de Burkeman, Knight e seus seguidores, os pessimistas ainda não têm motivos para comemorar. É otimismo demais acreditar que décadas de tradição de pensamento positivo seriam abandonadas só porque novos livros a criticam. O otimismo continua a ter seus defensores, mesmo com ressalvas. “O pensamento positivo serve para estimular a persistência”, diz Hélder Kamei, especialista em psicologia positiva da Universidade de São Paulo. “Mas acreditar que só o otimismo transformará objetivos em realidade é uma ilusão.”  Pesquisas científicas comprovam os méritos do otimismo. Um trabalho da Universidade Harvard analisou mais de 200 estudos sobre os efeitos do pensamento positivo na saúde e comprovou que os otimistas têm menos problemas cardíacos e um risco de derrame menor. Outro estudo, feito pelo Albert Einstein College of Medicine, nos Estados Unidos, investigou as personalidades de mais de 500 pessoas com idade superior a 95 anos e concluiu que ser otimista aumenta a longevidade. Mas ninguém se tornará centenário por repetir os mantras da autoajuda sem acreditar neles. Os benefícios à saúde só são observados em quem é verdadeiramente otimista.

O otimismo, quando sincero e espontâneo, tem o poder de nos tornar mais persistentes e bem-humorados. Ninguém duvida disso. O difícil é ser otimista de verdade, mesmo quando tudo parece dar errado. Entre reconhecer o pessimismo e fingir acreditar nas promessas da autoajuda, a primeira alternativa é a mais saudável. Os conselhos dos gurus do otimismo só funcionam para quem já é otimista (e provavelmente não precisa de conselhos). Ser pessimista não condena ninguém à infelicidade eterna. E, se a infelicidade eterna vier, ao menos os pessimistas terão um consolo. Eles estavam certos.

Fonte: Site da Revista Época
http://epoca.globo.com/ideias/noticia/2014/02/o-lado-bom-do-bpessimismob.html

Pena de Morte no Brasil a luz da Bíblia

“E por se multiplicar a iniquidade o amor de muitos esfriara” (Mt. 24. 12) 

Quero antes de tudo dizer que não sou cristão, sou agnóstico, mas vou fazer uma analise a luz da Bíblia para poder refutar a opinião de muitos em ser contra a pena de Morte por motivo de sentimento religioso, em especial os cristão, já que a religião que predomina no brasil é o Cristianismo. 

Diante de tanta criminalidade, elevação da violência e impunidade, onde um cara de menor idade é tratado como "burro" pelo governo, isto é, como se não tivesse consciência do que é certo ou errado, bem ou mal, ao ponto de praticar muitos crimes contra a sociedade e não ser punidos. Não só os de menor idade mas também de maior idade, onde a policia prende hoje e amanhã o bandido já está solto praticando os mesmo crimes ou pior. Por esses e outros motivos, digo:eu defendo a Pena de Morte, mas para crimes bárbaros e hediondos, e estou torcendo e "orando" para que a lei da Pena de Morte seja aprovada também aqui no Brasil. 

Para os que são contra por motivos religiosos, acho que Deus não seja contra, pois segundo a Bíblia, no Velho Testamento, Ele mesmo mandava queimar pessoas (Levítico 21:9), apedrejar crianças (Deuteronômio 21:18-21), assassinar bebezinhos (Samuel 15:3), exterminar mulheres grávidas, velhinhos, soldados, animais indefesos, árvores, plantas...enfim, tudo o que tivesse folego ( Josué 10:40 e 1 Samuel 15:3).


Então, já que o próprio Deus antigamente ordenava a matança de pessoas e criaturas inocentes, acredito (e nada mais justo) que ele nos dias de hoje, seja á favor da morte de bandidos, assassinos e estupradores, políticos corruptos, empresários sonegadores. Isso sim, é agir com justiça e não passar a mão por cima da cabeça de gente ruim que se diz santas por que crer em Deus, como fazem as algumas religiões.


Se pela lei de Moisés e em contextos de fatos bíblicos Deus mandava matar inocentes, por o governo e políticos de hoje que se dizem servos de Deus não implantam Pena de Morte no nosso País para matar os bandidos culpados que mata o povo trabalhador?


No Brasil não tem Pensa de Morte para bandidos, mas tem pena de morte para o cidadão onde os executores, são os próprios bandidos, e as vezes, a própria policia nas favelas com balas supostamente perdidas. Os bandidos mata gente inocente sem ter dor e ainda diz ser religioso pois os presídios estão cheios de gente com  fé em Deus, que rezam, faz longas oração para ser ouvidos, cantam musicas gospel, choram de emoção alegando está arrependidos, e quando sair dali vai pratica a maldade contra o povo trabalhador por que o Sistema Prisional não recupera ninguém. 

Vamos analisar a Pena de Morte no Velho e Novo Testamento, e você tire suas conclusões:

A origem da aplicação da Pena de Morte a luz da Bíblia 


Na verdade prática judaica cristã, digo o seguinte: “A vida é um dom de Deus. Só a Ele, cabe concedê-la ou suprimi-la, direta ou indiretamente, sem que se configure um crime”. Aí, temos duas situações: primeira: Deus pode tirar a vida diretamente, de qualquer pessoa, criminosa, ou não. Através de uma doença, de um acidente, ou de outra forma; segunda: indiretamente, através de alguém, que tenha recebido a autoridade para punir, em nome da justiça de Deus, que constitui as autoridades para louvor dos que fazem o bem, e para castigo e vingança dos que fazem o mal, conforme reza o Judaísmo e o Cristianismo e vamos demonstrar a seguir.

No Antigo e Novo Testamento

É lá, nas páginas do Antigo Testamento, que encontramos a justiça de Deus sendo aplicada apena capital, para crimes capitais. Fazemos questão de sublinhar esse tipo de crime.

“A origem dos crimes de sangue: O primeiro homicídio.

Pena de Morte na Bíblia

"Quem derramar sangue do homem, pelo homem seu sangue será derramado; porque à imagem de Deus foi o homem criado. Gênesis 9:6"

"Quem ferir um homem e o matar terá que ser executado. Êxodo 21:12"

"Se alguém ferir uma pessoa a ponto de matá-la, terá que ser executado. Levítico 24:17"

"Se um homem ferir alguém com um objeto de ferro de modo que essa pessoa morra, ele é assassino; o assassino terá que ser executado. Números 35:16"

"Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por ele estabelecidas. Portanto, aquele que se rebela contra a autoridade está se opondo contra o que Deus instituiu, e aqueles que assim procedem trazem condenação sobre si mesmos. Pois os governantes não devem ser temidos, a não ser por aqueles que praticam o mal. Você quer viver livre do medo da autoridade? Pratique o bem, e ela o enaltecerá. Pois é serva de Deus para o seu bem. Mas, se você praticar o mal, tenha medo, pois ela não porta a espada sem motivo. É serva de Deus, agente da justiça para punir quem pratica o mal. Portanto, é necessário que sejamos submissos às autoridades, não apenas por causa da possibilidade de uma punição, mas também por questão de consciência. Romanos 13:1-5"

"Mas, se houver danos graves, a pena será vida por vida" Êxodo 21:23

"Se um boi chifrar um homem ou uma mulher, causando-lhe a morte, o boi terá que ser apedrejado até a morte, e a sua carne não poderá ser comida. Mas o dono do boi será absolvido"Êxodo 21:28

"Não se envolva em falsas acu­sações nem condene à morte o inocente e o justo, porque não absolverei o culpado". Êxodo 23:7

"Se alguém amaldiçoar seu pai ou sua mãe, terá que ser executado. Por ter amaldiçoa­do o seu pai ou a sua mãe, merece a morte". Levítico 20:9

"Se um homem se deitar com a mulher do seu pai, desonrou seu pai. Tanto o homem quanto a mulher terão que ser executados, pois merecem a morte". Levítico 20:11

"Se um homem se deitar com a sua nora, ambos terão que ser executados. O que fizeram é depravação; merecem a morte". Levítico 20:12

"Os homens ou mulheres que, entre vocês, forem médiuns ou consultarem os espíritos, terão que ser executados. Serão apedrejados, pois merecem a morte". Levítico 20:27

O Que a Bíblia Realmente Ensina sobre Pena de Morte?

Sego os escrtios da Bíblia, ouco depois do Dilúvio dos dias de Noé, Jeová = Deus, confirmou a preciosidade da vida humana e disse: “Quem derramar o sangue do homem, pelo homem será derramado o seu próprio sangue.” (Gênesis 9:6) Naturalmente não se tratava de uma licença sem restrições para vingança. Significava, sim, que as autoridades humanas devidamente constituídas dali em diante teriam permissão para executar a pessoa que tirasse a vida de outro ser humano.

No Israel antigo, a Lei dada por Deus mediante Moisés estipulava a pena de morte para certas transgressões graves leves, como até feiticerios e homosexuais eram mortos. (Levítico 18:29). Mas também assegurava julgamentos imparciais, o depoimento de testemunhas oculares e restrições à corrupção. (Levítico 19:15; Deuteronômio 16:18-20; 19:15) Os juízes deviam ser homens devotados e tinham de responder ao próprio Deus por suas decisões! (Deuteronômio 1:16, 17; 2 Crônicas 19:6-10) Vê-se que havia dispositivos para impedir abusos da pena de morte.

Pena de Morte no Novo Testamento, a execução do mau:

Hoje nenhum governo na Terra representa de fato a justiça divina como o Israel antigo. Mas os governos agem, de muitos modos, como ‘ministros’, ou agentes, de Deus, no sentido de que preservam certa medida de ordem e estabilidade e providenciam serviços públicos. O apóstolo Paulo lembrou aos cristãos que fossem obedientes a essas “autoridades superiores” e acrescentou: “Se fizeres o que é mau, teme; porque não é sem objetivo que [o Estado] leva a espada; pois é ministro de Deus, vingador para expressar furor para com o que pratica o que é mau.” — Romanos 13:1-4.

“A espada” que Paulo mencionou simboliza o direito do Estado de punir os criminosos — mesmo com a morte.

Pena de Morte pelos romanos:

É preciso admitir que o sistema judiciário romano não era perfeito; nem são hoje perfeitos os sistemas judiciários humanos. Tanto naquela época como hoje, alguns inocentes foram condenados e punidos. Até mesmo Pilatos disse a respeito de Jesus: “Não achei nele nada que mereça a morte; portanto, eu o castigarei e o livrarei.” Deveras, embora a autoridade governamental admitisse que Jesus era inocente, este homem inocente foi executado. — Lucas 23:22-25.

Pena de Morte hoje:

Muitos paises ainda usam a Pena de Morte como meio de iliminar e diminuir o mau no meio do seu povo, fazendo com que muitos tenham medo do Estado, por exemplo, o sistema penitenciário norte-americano é criticado por executar, todo ano, menos de 2% dos criminosos que estão no corredor da morte. Mais muitos deles morrem de causas naturais do que são executados. Existem também acusações de preconceito visto que as estatísticas sugerem que um assassino tem mais probabilidade de ser sentenciado à morte se a vítima era branca do que se a vítima era negra, e que tem muitos que são levados para o corredor da morte sendo inocentes mas não podem provar o contrario, então morrer sem legitima defesa.

Pena de Morte no Brasil

Com a moleza e leveza dada aos bandidos que, sendo condenados pelo judiciário, não podem passar mais de 30 anos presos, indiretamente governo brasileiro defende bandidos com essa norma e não o cidadão. Muitas entidades lutam pelos diretos dos humanos desumanos quem matam, roubam, assaltam o povo honesto e trabalhador que vivem presos dentro das suas casas ou apartamentos, com medo de sair nas ruas e serem vitimas de Pena de Morte praticada por que se achar o sub-poder, que são os criminosos executores de plantão. Será que se tivesse Pena de Morte no Brasil os bandidos ricos seria levados ao paredão ou a cadeira-elétrica  ou só os pobres participaria, ou será que o brasil é igual a Israel nos tempos antigos, como no caso da Bíblia em que só os povão era dignos de Pena de Morte, mas os reis, como Davi que cometeu adultério, armou a morte (matou) do próprio amigo para ficar com a esposa dele não passou por Pena de Morte?

No Antigo Testamento Deus mandava matar culpados e inocentes e até quem cometia besteria contra a fé e a religião, mas depois de um bom tempo, Deus mudou de cara e mandou o seu filho para ser vitima de Pena de Morte por um monte de gente ruim, então foi formado a sua igreja na Terra para poder tomar o lugar do judaísmos e mostrar a nova cara de Deus manqueada, recheadas de pendentes e como novo tom de modernidade  na imagem do seu filho mas que veio trazer a moleza pregava uma paz inexistente, mesmo assim, a sua Santa Igreja implantou a Pena de Morte aos hereges e quem fosse contra o Vaticano e o Santo Papa, vemos que Deus pode até ter mudado de cara por meio do Cristianismo moderno, porém o estado e a religiosidade continua da mesma forma, e o crime aumenta a cada dia, isso para manter o trabalhos das policias, juízes, promotores, advogados, muitos operadores do Direito e dos religiosos para pregar a redenção de gente que cometem o crime e depois tiram onda de arrependidos e passam a viver como se nada tivesse acontecido ficando assim sem culpa e punição.

Como fazer valer Pena de Morte no Brasil

Se a população brasileira lutar por reforma Politica Rígida, dando igualdade a todos os postulante de investimentos públicos em campanha eleitoral, proibindo o investimentos privado em campanha, anulando a Imunidade parlamentar,  acabando com o Tribunal que jugas crimes Militar, desfazendo do Poder Judiciário a Aposentadoria Compulsória como penalidade máxima para os seu membros que cometem crimes, posso então dizer que, a Pena de Morte poderá funcionar no Brasil, mas em um País de corruptos, onde as Leis é severa para os pobres e branda para os ricos e amigos e companheiros do Poder, só servirá para matar os bandidos pés-de-chinelos, pois honoráveis bandidos, lógico, escaparam pela tangente da razão da jus/politica, digo, os bandidos de gravata e de conta bancaria elevada, amigos do Poder ou no poder, continuarão apadrinhados pela Lei e pelos seus operadores do "Direito errado" em nosso Pais.

Finalizo dizendo:Para crimes com crueldades, barbarias,  hediondos e corrupção na politica, comprovados nos meios "técnicos  jurídicos" e sem margem para refutação, digo, "Código de Hamurabi"  neles, ou melhor, Lei de Talião, “olho por olho, dente por dente” é a solução para diminuir o crime no Brasil já que a maldade e a criminalidade nunca vai acabar, faz parte da natureza das coisa, por que é de praxe  os conflitos entre os animais racionais ou irracionais, com ou sem maniqueísmo, mas os racionais se comportam como os irracionais e os irracionais se comportam como racionais sendo mais humanos que os humanos.







Fonte:  Blog do Gari Martins da Cachoeira 


Com ebdweb.com - watchtower.org

http://martinsogaricgp.blogspot.com.br/2014/02/pena-de-morte-no-brasil-luz-da-biblia.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+BlogDoGariMartinsDaCachoeira+(Blog+do+Gari+Martins+da+Cachoeira)

13 religiões que você (provavelmente) não conhecia


Por Luíza Antunes
As religiões surgiram como uma forma dos humanos responderem suas dúvidas existenciais: como surgiu a vida? O que acontece após a morte? As religiões estão muito fortemente ligadas à nossa cultura e à nossa noção de moral. Acontece que, num mundo tão grande, existem várias fés que muitos de nós desconhecemos totalmente. Conheça uma lista com 13 religiões que você provavelmente nem sabia que existiam.

1. Baha’i
bhaai
A fé Baha’i foi fundada no século 19, na Pérsia, pelo profeta Baha’u’llah. Eles acreditam na unidade espiritual de toda a humanidade e creem num Deus único, que a mente humana não é capaz de compreender. Dessa forma, para eles, todos os ensinamentos de amor e tolerância de Krishna, Buda, Jesus, Maomé e Abraão são válidos, e o fanatismo e a intolerância são responsáveis pelos conflitos.  Existem cerca de 5 milhões de seguidores de baha’i no mundo.

2. Eckankar
Eckankar é um movimento religioso criado em 1965 pelo americano John Paul Twitchell. É descrita como a religião da “Luz e Som de Deus”. Eles acreditam na reencarnação para atingir a libertação espiritual, até a reunificação com o espírito divino Eck. Em Minnesota, nos Estados Unidos, existe um templo eckankar, uma capela ao ar livre e o Campus Universitário Espiritual ECK.

3. Cheondoísmo
O cheondoísmo surgiu na Coreia, no século 20, com base no xamanismo e no budismo. Essa é a principal religião hoje na Coréia do Norte. Eles acreditam que Deus existe dentro de cada pessoa e devemos tem boas atitudes na Terra, uma vez que, para eles, não existe vida após a morte.

4. Asatrú
astaru
Asatrú é uma religião neopagã que busca reviver as crenças nórdica que existiam no tempo dos vikings. Politeísta e baseada em lendas míticas, fundamenta-se na vivência das “Nove Nobres Virtudes”: Coragem, Verdade, Honra, Fidelidade, Disciplina, Hospitalidade, Laboriosidade, Independência e Perseverança. Asatrú surgiu na Islândia nos anos 60, onde é oficialmente reconhecida, assim como na Dinamarca e na Noruega.

5. Zoroastranismo
zoroastr
O zoroastranismo é baseado nos ensinamentos do profeta iraniano Zoroastro, que viveu no primeiro milênio antes de Cristo. A base da religião é a crença em um Deus universal, o Ahura Mazda, que vivia em conflito com as forças do caos, lideradas por Arimã. Um salvador chegaria à Terra para terminar a luta entre o mal e o bem. Tais concepções religiosas do zoroastranismo, como a crença no paraíso, na ressurreição, no juízo final e na vinda de um messias, teriam influenciado as grandes religiões, como cristianismo e islamismo. Hoje, existem cerca de 150 mil seguidores da religião, principalmente na Índia e no Irã.

6. Mazdakismo
O mazdakismo foi fundado pelo profeta Mazdak, no século 6 A.C. Mazdak era um socialista na Pérsia e criou essa religião como uma crítica ao zoroastranismo. O mazdakismo  pregava a diminuição das formalidades religiosas, do acumulo de riqueza e o fim do clero. Para eles, a outra religião oprimia o povo persa e causava muita pobreza.

7. Builders of the Adytum
Builders of the Adytum, ou Construtores de Adytum (também conhecida como BOTA), foi criada pelo Dr. Paul Foster Case, na California. A BOTA é dedicada ao estudo, prática e adoração da Tradição dos Mistérios Ocidentais – ou seja, psicologia esotérica, tarô oculto, Cabala, astrologia e técnicas de meditação. Existem cerca de 5 mil seguidores no mundo hoje.

8. Jainismo
jain-tempo
O jainismo surgiu na Índia há 2500 anos e tem hoje cerca de 4 milhões de seguidores. A religião tem vários templos na Índia. Possui elementos do hinduísmo e do budismo. Eles não acrediram em nenhum Deus criador, e buscam atingir a perfeição espiritual através de ciclos de renascimento. Para se livrar do karma durante a vida, é preciso seguir doze votos, como praticar a não violência e não consumir produtos de origem animal.

9. Falun Gong
O Falun Gong é um movimento religioso fundado em 1992, na China, por Li Hongzhi. Combina elementos do budismo, taoismo, confucionismo e folclore tradicional chinês. O movimento tem como objetivo conseguir a renovação mental e espiritual através da meditação. O governo chinês passou a perseguir a Falun Gong, que em 1999 já tinha quase 10 milhões de seguidores. O fundador fugiu para os Estados Unidos, e, mesmo com a repressão, a religião ainda tem milhões de fieis.

10. Aladura
Aladura tem cerca de um milhão de seguidores, a maioria na Nigéria. Surgida no início do século 20, é uma mistura de tradições anglicanas com rituais africanos. A religião acredita na cura pelo profeta, uma resposta aos movimentos missionários na África. O líderes da fé são conhecidos como profetas que tem o poder da cura, através de rituais e reza.

11. Caodaísmo
caodai
Religião que surgiu no Vietnã em 1926, o caodaísmo, nome que significa a “terceira grande amnistia religiosa universal”, combina elementos do taoísmo, budismo, confucionismo e catolicismo. Atualmente, tem cerca de 6 milhões de seguidores. A missão dessa religião é tornar o mundo mais tolerante. Eles acreditam em um deus único, o Cao Dai, responsável pela criação da vida. Os seguidores dessa fé também acreditam em reencarnação e karma.

12. Igreja da Unificação
A Igreja da Unificação surgiu na Coreia do Sul em 1954. Descrita como uma interpretação única do cristianismo, a fé tem cerca de 3 milhões de seguidores, que acreditam que o fundador, Sun Myung Moon, é um messias e salvador da humanidade. A Igreja da Unificação busca a salvação através da restauração de uma nova família verdadeira. Por isso, eles promovem grandes casamentos coletivos.

13. Mandeísmo
O mandeísmo surgiu na região da Mesopotâmia no primeiro século depois de Cristo. Os seguidores da religião acreditam que Jesus foi um falso messias, que corrompeu os ensinamentos de João Batista. O batismo e João tem um lugar especial na mitologia da religião, assim como Adão, Abel, Noé. Abraão, Moisés e Mohamed também são considerados falsos profetas. Existiam cerca de 70 mil seguidores do mandeísmo em comunidades indigenas no Iraque, antes da guerra em 2003. Com a guerra e perseguições religiosas, sobraram apenas 5 mil mandeístas.

Imagens: Wikimedia Commons


Fonte: Site da Revista Superinteressante
http://super.abril.com.br/blogs/superlistas/13-religioes-que-voce-provavelmente-nao-conhecia/