quinta-feira, 22 de maio de 2014

Os 10 países com as maiores taxas de suicídio no mundo

A taxa ao lado do nome do país correponde ao número de pessoas que cometem suicídio em um ano para cada 100.000 pessoas.
# 10. Eslovênia 21,9
Como você verá ao longo desta lista, os países comunistas não exatamente mantinham seus cidadãos felizes. A Eslovénia foi anexada pelas potências do Eixo na Segunda Guerra Mundial, e se tornou um membro fundador da Iugoslávia após a guerra. Quando o país finalmente se tornou independente e democrático, em 1992, as coisas começaram a melhorar. A taxa de suicídio recuou e a economia recuperou-se. No entanto, a recessão global do final dos anos 2000 foi especialmente difícil, e o progresso do país europeu sofreu um sério revés. A economia em dificuldades é provavelmente a principal razão da Eslovênia ainda estar no top 10.

# 9. China 22,2
As taxas de suicídio são difíceis de se aquilatar na China, porque o governo provavelmente reduz os números. Vários grupos têm realizado estudos que colocam a taxa mais perto de 30, o que colocaria a China em terceiro lugar no mundo. Mas, não temos escolha a não ser usar as estatísticas oficiais divulgadas pelo governo chinês. Taxas de suicídio feminino realmente superam o de homens. Na verdade, a China tem uma das maiores taxas de suicídio do sexo feminino no mundo. No entanto, ambos os sexos sentem a pressão intensa colocada sobre eles por parte da sociedade. Outro contribuidor são as condições de trabalho horrendos em muitos fábricas.

# 8. Letónia 22,9
O país tornou-se independente da União Soviética em 1991, através de uma revolta pacífica e na sequência da sua independência apresentou o maior crescimento econômico de toda a UE. Mesmo que o país tenha sido duramente atingido pela recessão global, já está recuperado, e cresce novamente. Então, o que leva a suicídios? O país ainda está lidando com as consequências do comunismo, e o governo tem demonstrado ser corrupto em várias instâncias. As mulheres também têm sido amplamente discriminadas.

# 7. Japão 23,8
Os japoneses têm uma longa história de suicídios honrosos, desde os dias dos samurais, incluindo os kamikazes durante a Segunda Guerra Mundial. Nos tempos modernos o suicídio ainda é visto como aceitável pelos japoneses, e às vezes até mesmo honroso. Ultimamente, a taxa de suicídio disparou, assim como a taxa de depressão tem aumentado também. A perda do emprego é listada como um dos maiores motivos, e por isso é o fator de dificuldades na vida. Aokigahara é o local mais comum para os suicídios. A área florestada na base do Monte Fuji é palco de cerca de 100 suicídios a cada ano.

# 6. Hungria 24,6
A Hungria ainda tem números altos, mas as taxas de suicídio do país têm, na verdade, caído para quase metade desde a queda do comunismo. Em 1984, a Hungria teve a maior taxa da história, com 46,1. Este ainda é um recorde até hoje. Seus problemas podem ser remontados a I Guerra Mundial, quando o país, anteriormente uma potência, perdeu 70% de seu território. Era um regime fascista até 1989, e desde então, as condições tem melhorado. Agora, a Hungria é vista como um dos os poderes económicos da sua região, e é um dos dos destinos turísticos mais populares do mundo.

# 5. Belarus 25,3
Apesar de ter declarando a independência da União Soviética, em 1990, Belarus ainda tem relações estreitas com a Rússia, e o presidente Alexander Lukashenko foi contra os desejos das pessoas desde a independência, continuando as políticas da era Soviética. Ele manteve-se no poder pela violência intimidando seus adversários, e oprimindo os cidadãos de Belarus. Quando isso falhou, as eleições foram manipuladas simplesmente para manter Lukashenko no poder.Não é à toa que Belarus tenha uma taxa tão elevada de suicídio.

# 4. Cazaquistão 25,6
A nação com 70% de islâmicos tem lutado desde a declaração de independência da União Soviética em 1991. O país só teve um presidente em tempos pós-soviéticos, e o presidente Nazarbayev  com 95% dos votos. Soa um pouco suspeito. Apesar de chamar-se uma república, o Cazaquistão é conhecido como um regime autoritário. O progresso econômico do país foi severamente restringido pela recessão mundial no final da década de 2000, e a liberdade religiosa foi praticamente removida para não-muçulmanos pelo governo cazaque.

# 3. Guiana 26,4
Na Guiana, a principal causa de morte para os cidadãos 15-24 anos de idade é o suicídio, uma estatística chocante. As razões principais são a depressão e as disputas internas. Na região leste Berbice, a taxa é de cerca de 50, maior do que qualquer país do mundo. O governo está tomando medidas para tentar controlar o problema, com telefones de ajuda, e a polícia tentando ajudar a prevenir os jovens adultos de tirar sua própria vida. Infelizmente, o suicídio já é sinônimo de Guiana, depois de  1978 quando em Jonestown 914  pessoas tiraram suas próprias vidas seguindo ao líder Jim Jones.

º 2. Coreia do Sul 31.2
A principal causa de morte para menores de 40 na Coréia do Sul é o suicídio. A taxa dobrou nos últimos dez anos. Em 2009, o ex-presidente Roh Moo-hyun cometeu suicídio pulando de um penhasco, depois de ter sido envolvido em um escândalo de corrupção. Muitos outros famosos sul-coreanos cometeram suicídio, incluindo milionários, cantores pop, e jogadores profissionais de futebol. Por que a Coreia do Sul tem um problema com o suicídio? Ninguém parece ter um resposta definitiva. A economia está crescendo, em comparação com a maioria dos outros países asiáticos. Alguns sugerem que os jovens coreanos estão se juntando a pactos de internet, e é uma moda passageira. Mas isso parece improvável para afetar a taxa nacional de suicídio tão drasticamente.

º 1. Lituânia 34,1
A mais alta taxa de suicídio do mundo é da Lituânia. No entanto, sendo outro país a declarar a independência da União Soviética, no início de 1990,  tem se esforçado para fazer a transição do comunismo para o capitalismo. A taxa de suicídio dobrou nos últimos dez anos, e tem sido descrita como uma “epidemia”. Sua realidade é crescente em comparação com outros países bálticos. Os moradores dizem que o governo não está fazendo nada sobre a taxa de suicídio, como um recente projeto de lei foi arquivado. Quando os cidadãos são apanhados em tentativa de suicídio, eles são levados para o hospital, mas liberados na mesma noite. Muitas vezes, eles tentam o suicídio na noite seguinte. Parece que o problema da Lituânia é que estão apenas tentando ignorar os suicídios, e a abordagem, obviamente, não está funcionando.

Fonte: Blog do Tony
http://www.blogdotony.net/322997?wpmp_switcher=mobile

Nenhum comentário:

Postar um comentário