quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Curiosidades norte-coreanas

Um país como a Coreia do Norte é um poço sem fundo de curiosidades para nós, ocidentais brasileiros. Eu já imaginava isso, é óbvio, mas tenho comprovado com frequência bem maior do que esperava, enquanto faço meus estudos turísticos.
sludgegulper (CC BY-SA 2.0) 2
Fiz aqui uma lista do que encontrei até agora. E para organizar um pouco a coisa toda, dividi em capítulos: Curiosidades Históricas, Curiosidades em Geral e Curiosidades Turísticas.
Algumas delas podem ser lendas, mas isso eu digo para você na volta. Por enquanto, relaxe e divirta-se.
Curiosidades Históricas
• Os coreanos do Norte e do Sul são exatamente o mesmo povo, a mesma etnia. A divisão entre eles é apenas política e cultural (mas essa última existe apenas por causa das décadas de separação).
• Os dois países concordam com as suas origens: o primeiro coreano foi o rei Dangun e tudo começou no Monte Paekdu (esse do lago bonitão aqui embaixo), que hoje fica na Coreia do Norte.
Mark Scott Johnson (CC BY 2.0)
• O nome “Coreia” vem de Goryeo, uma dinastia que governou a região por muito tempo e cuja capital ficava em Kaesong, uma cidade que também fica na Coreia do Norte.
• Pyongyang, a capital norte-coreana foi fundada no ano 427, mas foi totalmente destruída em guerras.
• As duas coreias têm relações conturbadas com os japoneses, que já invadiram a península várias vezes e fizeram miséria com os coreanos.
• Norte e sul-coreanos dividiram a mesma história por 5 mil anos, até 1948, quando se separaram.
• A linha que separa os dois países é o paralelo 38.
• A escolha do paralelo 38 como fronteira foi feita por dois jovens militares americanos, em Washington, olhando para um mapa da National Geographic. Era o fim da Segunda Guerra e eles não tinham nem ideia de nada da Península da Coreia. Só sabiam que precisavam correr para estabelecer qual parte seria administrada pelos EUA e qual seria pelos russos – e que Seul precisava ficar sob influência americana.
• A divisão dos dois países era para ser temporária, até rolarem eleições e tal. Mas a Guerra Fria começou e deu no que deu.
• Oficialmente, Coreia do Sul e Coreia do Norte estão em guerra desde 1950 (quando o Norte invadiu o Sul). Até hoje, nenhum acordo de paz foi assinado entre os dois países.
Edward N. Johnson – U.S. Army
• Nos anos 60, a economia da Coreia do Norte era muito mais forte do que a da Coreia do Sul. Muitos coreanos que viviam no Japão migraram para lá por causa disso.
• Kim Il-sung morreu de ataque cardíaco em 1994. Mesmo assim, ainda é considerado o presidente do país. Segundo a Constituição norte-coreana, ele é o “Eterno Presidente”.
yeowatzup (CC BY 2.0)
• A Coreia do Norte é o único país, em toda a história, governado por uma dinastia comunista.
• Coreia do Norte e Coreia do Sul são nomes que não existem oficialmente. Ambas são simplesmente “Coreia”, mas a do norte é a República Popular e Democrática da Coreia, enquanto a do sul é a República da Coreia.
Curiosidades em Geral
• Todos os adultos norte-coreanos usam um pin com o rosto do Grande Líder. Sempre. Todos os dias.
Roamme (CC BY-SA 2.0)
• A semana de trabalho é de 6 dias. Por isso, os domingos costumam ser de piqueniques, cantorias e diversão.
• A população de Pyongyang é de 3 milhões de pessoas (para comparação, Salvador tem pouco menos do que isso).
• O futebol é o esporte mais popular do país.
• Oficialmente, as religiões foram banidas da Coreia do Norte em 1950, mas é possível ver templos budistas e até igrejas (frequentadas pela comunidade diplomática na capital).
• Na falta de cultos vindos de fora do país, uma ideia criada pelo Grande Líder acabou se transformando em uma espécie de religião norte-coreana: a ideologia Juche. Em poucas palavras, o “kimilsunguismo” prega que cada pessoa é responsável pelo seu futuro e sua prosperidade, assim como é responsável pela revolução e pela construção do país.
yeowatzup (CC BY 2.0)
• A ideologia Juche também gerou um calendário, baseado no nascimento do Grande Líder. Assim, 2012 é o ano 101.
• Por não haver religião, os casamentos são celebrados em frente a estátuas do Grande Líder.
• A cada dois anos, a capital do país sedia o Pyongyang International Film Festival. É um dos raros momentos de interação de cultura estrangeira com a cultura local.
• Existem duas espécies de flores que ganharam, por lá, os nomes dos dois falecidos líderes do país: a kimilsungia e a kimjongilia.
Curiosidades Turísticas
• Desde 2010, norte-americanos podem, sim, visitar a Coreia do Norte.
• Jornalistas, no entanto, não podem. Salvo exceções pontuais.
• Sul-coreanos só entram em ocasiões especiais ou em áreas especiais perto da fronteira.
• O governo orienta a população a receber bem os estrangeiros. E a população recebe.
Roamme (CC BY-SA 2.0)
• Não é permitido entrar no país com lentes fotográficas com mais de 150 mm (traduzindo: se sua câmera comum tem zoom ótico de mais de 6X, já corre risco de ser retida na entrada e devolvida na saída).
• Não é permitido entrar no país com tripés.
• Não é permitido entrar no país com câmera fotográfica que tenha GPS (o que muitas têm, hoje em dia).
• Não é permitido entrar com livros que falem do país (mas guias de viagem são tolerados), nem com revistas sul-coreanas ou escritas em coreano.
• Nem pense em levar uma bandeira norte-americana ou sul-coreana.
• Rádio? Não entra.
• É melhor não levar camisetas com slogans ou frases. Os policiais podem pedir para os guias traduzirem antes de deixar você passar.
Roamme (CC BY-SA 2.0)
• É permitido (repito: per-mi-ti-do) entrar com notebooks, pendrives, dólar americano, câmera de vídeo amadora, iPod, mp3, comida, bebida alcoolica, Kindle, iPad e gravadores de voz.
• Os passaportes ficam retidos na sua entrada no país e são devolvidos na saída.
• Os passaportes não ganham nenhum carimbo. O visto norte-coreano é anexado em um papel separado e fica com os guias durante o seu período por lá. Não, você não leva nada para casa.
• É facílimo fazer o visto norte-coreano. Muito mais fácil do que fazer o visto norte-americano.Veja esse post e saiba mais.
• Sua bagagem é revistada na entrada e na saída. Se você estiver chegando/saindo de avião, o normal é passar por um raio-x. Mas se for de trem, prepare-se para uma longa espera: a revista é feita manualmente em todos os passageiros, em todos os vagões.
Roamme (CC BY-SA 2.0)
• Seu celular também não entra na Coreia do Norte: todos os aparelhos são confiscados na entrada e entregues para seus donos na saída.
• Como você não vai ter o celular, é recomendado levar um despertador (já percebeu que você não usa mais isso, mas apenas o telefone?).
• É recomendado levar uma lanterna. Os hoteis em Pyongyang raramente sofrem com falta de energia, mas no interior a coisa pode complicar.
• Não existe cartão de crédito na Coreia do Norte, nem travelers cheques, nem ATMs. Você precisa levar dinheiro vivo e não tem como conseguir mais lá dentro. É bom levar o suficiente.
• A chance de você ser assaltado é zero. Segundo a Koryo Tours, em mais de 1000 viagens para lá, nunca aconteceu nada do tipo.
• A moeda local é o won, mas o turista só pode usar euro, dólar ou yuan (da China).
panaxy (CC BY 2.0)
• Dá para conseguir alguns wons como souvenir, mas apenas notas antigas, de antes de 2009, que não valem mais.
• A cerveja custa a partir de 50 centavos de euro por garrafa. Dizem que é boa.
• As refeições são feitas em restaurantes previamente preparados para receber os turistas.
• Vegetarianos conseguem sobreviver numa boa, mas veganos sofrem.
• Tem TV a cabo gringa nos hoteis (BBC World).
Roamme (CC BY-SA 2.0)
• É possível fazer ligações desde lá. Mas isso custa caro: para a Europa, são 6 euros por minuto.
• É possível mandar e-mail também. Mas apenas usando o endereço do hotel e sem resposta.
• Para fotografias, as regras são: sempre pedir permissão para os guias e nunca fotografar instalações militares ou soldados. Mesmo assim, é recomendado levar muitos cartões de memória porque é impossível comprar mais lá e a quantidade de fotos feitas é sempre maior do que a esperada.
• Não se dá gorjeta na Coreia do Norte.
• Você é convidado a depositar flores para o Grande Líder no Grande Monumento Mansudae.
• Desde o início do ano, a estátua do Grande Líder ganhou a companhia da estátua do seu filho, o Querido Líder.
comradeanatolii (CC BY-ND 2.0)
• Não se curvar diante da estátua e do corpo do Grande Líder é considerado uma grande ofensa para os norte-coreanos, tipo uma ofensa religiosa. A Koryo Tours é clara: se você acha que não consegue fazer isso, não vá.
• Menos de 2 mil turistas ocidentais visitam a Coreia do Norte a cada ano.
*****
Gabriel Quer Viajar foi para a Coreia do Norte com o apoio exclusivo da Koryo Tours.
*****
Gostou? Leia também os outros posts sobre a viagem à Coreia do Norte
ANTES DA VIAGEM (estudos e preparativos):
DEPOIS DA VIAGEM:

Fonte: Site Gabriel quer viajar
http://gabrielquerviajar.com.br/coreia-do-norte-curiosidades/

Nenhum comentário:

Postar um comentário