terça-feira, 24 de março de 2015

Opositores não têm partido e leem Olavo



Davi Lemos

Reprodução l YouTube
  • Segundo Olavo de Carvalho, só a ojeriza ao estatismo de esquerda une conservadores e liberais


O movimento que ocorre neste domingo, 15, em Salvador e outras capitais e estados brasileiros levará às ruas um público identificado com ideais liberais e conservadores e que não tem receio de dizer que é de direita.

Favoráveis ou não ao impeachment da presidente Dilma Roussef, eles têm referenciais comuns para atuação, como o filósofo Olavo de Carvalho. Também leem outros autores nacionais como o jornalista Reinaldo Azevedo e o economista Rodrigo Constantino.

Completam a lista de influências com a leitura de autores estrangeiros como o economista e filósofo Ludwig von Mises (1881- -1973), o economista Thomas Sowell, o filósofo Peter Kreeft ou o escritor George Orwell (1903-1950).

Membro do EnDireita Bahia, o estudante de filosofia da Ufba Heitor Oliveira diz que hoje se discutem temas que não estavam nas rodas há cinco ou dez anos. "Somos influenciados pelo Olavo de Carvalho, que é conservador, mas há membros liberais, que defendem a economia de mercado", aponta.

O jornalista Pérsio Menezes, 38, afirma que Olavo de Carvalho ajudou a quebrar a espiral de silêncio que sufocava todo pensamento conservador e de direita. "Estávamos acostumados a não ter debates, pois todos apresentavam a mesma opinião de esquerda", diz Menezes.


Outros motivos


"Mas o movimento não tem relação (direta) com Olavo de Carvalho. Ele ocorre porque a Dilma gastou como se não houvesse amanhã, porque as instituições republicanas estão aparelhadas", diz Menezes, que defende o impeachment e não integra um grupo específico.

O líder do Movimento Vem Pra Rua e do Nas Ruas, Antônio Marcos Souza, afirma que a movimentação não tem ligação com partidos como DEM, PSDB ou PSOL. "Nosso movimento é político popular, não político partidário", diz ele, que é contrário ao impeachment da presidente por entender que não há provas contundentes contra ela. "Se os resultados da Lava Jato mostrarem que ela tem envolvimento, aí, sim, justifica-se pedir impeachment".

Nas redes sociais, há aqueles que dizem protestar contra a presidente, mas que foram seus eleitores em 2014. Estes reclamam do "estelionato eleitoral" da campanha presidencial petista.
Olavo de Carvalho: O problema dos brasileiros
Duas direitas
Segundo Olavo de Carvalho, só a ojeriza ao estatismo de esquerda une conservadores e liberais. Os primeiros têm valores religiosos; os segundos priorizam a liberdade de mercado.




Fonte: Site A Tarde

http://atarde.uol.com.br/politica/noticias/1666897

Nenhum comentário:

Postar um comentário