quinta-feira, 9 de julho de 2015

Cristo, foice e martelo: combinação esdrúxula!

Rodrigo Constantino

Jesus Cristo era de esquerda? Há controvérsias. É possível encontrar, em suas mensagens, algumas passagens claramente antagônicas ao acúmulo de capital, que é a base do sistema capitalista que tanto progresso trouxe à humanidade, em especial aos mais pobres. Mas, em contrapartida, outras passagens deixam bem claro o enfoque de Cristo na solidariedade voluntária, a única moralmente defensável. Cristo jamais defendeu o uso da força ou da coerção para tirar bens dos mais ricos e distribuí-los aos mais pobres. Não era, nesse aspecto, um revolucionário socialista em hipótese alguma.
Mas socialistas modernos (se isso for algo possível) gostam de usar Cristo para fazer propaganda de sua ideologia igualitária. Um desses “engraçadinhos” chegou a dizer que, se Cristo vivesse hoje, seria um comunista “hard core”. Como assim? Alguém que sabia perfeitamente que devemos dar a César o que é de César e que jamais defendeu o uso da espada para tomar a propriedade alheia? Jesus ficaria horrorizado com os socialistas, esses que mascaram sua inveja com slogans aparentemente nobres contra a desigualdade.
Não importa: os socialistas querem se apropriar de Cristo, pois sabem que, para o sucesso de sua revolução, a Igreja precisa ser conquistada. Por isso a Teologia da Libertação, um casamento forçado entre Cristo e Marx, com evidente predomínio do último. “Frei” Betto, Leonardo Boff et caterva adoram se infiltrar no cristianismo para destilar seu socialismo invejoso e, por vezes, odiento. Cristo era paz e amor; “Frei” Betto pegou em armas e aplaude seu companheiro Fidel Castro, o maior tirano do continente. Não dá para misturar uma coisa com a outra.
Mas é justamente o que fez Evo Morales, o líder boliviano do “socialismo do século XXI”, aquele igual ao do século XX em termos de resultado (escravidão, miséria e mortes), apenas com roupagem diferente. O presidente da Bolívia, talvez após ter mastigado alguma folha de coca estragada, presenteou o Papa Francisco com um peculiar crucifixo em madeira com Cristo sobre uma foice e um martelo, símbolos do comunismo, durante uma reunião que os dois mantiveram na noite desta quarta-feira em La Paz. Eis a imagem tosca da coisa:
Fonte: UOL
É verdade que esse papa tem tido uns deslizes preocupantes, até por ser jesuíta. Sua postura é mais chegada ao esquerdismo mesmo, ainda que não seja o mesmo esquerdismo desses líderes latino-americanos que gozam com o poder de extrair de seus “súditos” seus bens à força. Papa Francisco adota mensagem um tanto anticapitalista, é verdade, mas fica no campo da persuasão, ao contrário desses governantes que partem para o ato de tomar o que é nosso contra nossa vontade.
Cristo, crucificado numa foice e martelo? Eis aí um simbolismo inaceitável, que tenta misturar os carniceiros soviéticos com aquele que preferiu morrer a reagir como um revolucionário belicoso. O que Lenin e Cristo têm em comum? O que o assassino de grávidas Che Guevara tem de similar a Cristo? Talvez os vermelhinhos pensem que basta uma barba para parecer Cristo. Mas Jesus jamais endossaria as ações criminosas desses socialistas!
É uma tremenda cara de pau, além de uma ofensa aos verdadeiros cristãos, pregar Cristo numa cruz em formato de foice e martelo, para associá-lo a esses trogloditas seguidores de Hugo Chávez. Dá uma baita vergonha de ser latino-americano nessas horas. Se esses governantes socialistas querem tanto assim parecer com Cristo, poderiam começar pelo final, e se pregarem numa cruz logo de uma vez. Não iriam salvar a humanidade, mas sem dúvida fariam um bem danado aos pobres latino-americanos…

Fonte: Site da Revista Veja
http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/religiao/cristo-foice-e-martelo-combinacao-esdruxula/

Nenhum comentário:

Postar um comentário